Previdência Privada

Relacionamento de um corretor

Ao escrever este artigo levei em conta o relacionamento de uma forma mais ampla, pensando não apenas nas seguradoras e clientes, mas todos os públicos que o corretor de seguros interage.

O aspecto histórico é um fator bastante relevante quando se fala no tema, já que anos atrás o relacionamento de um corretor era impessoal. Com a estabilidade da moeda isto mudou, os negócios ficaram mais transparentes e a competência técnica do corretor ficou mais evidente. Para se ter uma ideia, hoje, o corretor de seguros assumiu maior notoriedade, passando de um simples vendedor para um solucionador de problemas.

Segundo a Fenacor – Federação Nacional dos Corretores de Seguros Privados, de Capitalização, de Previdência Privada e das Empresas Corretoras de Seguros – existem mais de 62 mil corretores ativos no Brasil, e isto reflete de forma positiva. Explicando melhor, naturalmente acontece um processo de depuração, onde aquele que não se profissionaliza é excluído do mercado. É claro que com a criação do código de defesa do consumidor, a relação comercial evoluiu em outros setores da sociedade.

Este atual corretor de seguros é mais preparado para representar e defender o cliente junto à sua seguradora. Ele é o fiel da balança entre seguradora e segurado. As relações de um corretor de seguros criam não apenas laços éticos, mas valores também quando assume o processo de proteger pessoas e patrimônios.


Com mais de 33 anos no mercado de seguros, o consultor financeiro da Classic Seguros, Getúlio Gabriel Assunção.


Por que um corretor ou uma corretora?

Em meus 33 anos de carreira, sempre escutei algumas indagações de clientes, familiares e alguns amigos sobre o porquê de se fazer previdência ou seguro através de uma corretora ou corretor. E como consultor, posso afirmar que existem sim algumas nuances que devem ser entendidas. Mas antes de entrar nesta questão é importante deixar claro a função e objetivos de uma corretora e uma seguradora.

A seguradora é uma organização que assegura e assume o risco do beneficiário de receber a indenização na ocorrência de um evento coberto pelo seu seguro ou e a previdência. Em linhas gerais é a instituição financeira que detêm o dinheiro, por isso a necessidade ser sólida e transparente. Já a corretora ou corretor fazem a intermediação da seguradora com o segurado, comercializado a apólice (previdência ou seguro) de acordo com o perfil e benefício apropriado.

A Previdência complementar vem a ser um instrumento eficaz na manutenção da qualidade de vida de um cidadão em sua aposentadoria. E como hoje a sociedade esta mais de que consciente de que o sistema previdencial do governo não tem condições de oferecer benefícios compatíveis ao trabalhador no período de sua inatividade, cada vez mais se investe na complementar. E o seguro é a indenização em decorrência de algum sinistro.

Agora, poderei chegar onde quero. Aonde fazer a previdência ou seguro? Pensemos, um funcionário de uma seguradora ou banco zela também pelos benefícios de sua companhia, não tendo flexibilidade de escolha de um melhor plano ao seu cliente, a não ser aquele ligado a ela. Já para um corretor ou corretora esta liberdade é maior, pois como especialista ele poderá assessorar e escolher pacotes de benefícios em companhias diferentes de acordo com o perfil e interesse da pessoa. Por que um corretor ou uma corretora? Com o internauta, a resposta.

Com mais de 33 anos no mercado de seguros, o consultor financeiro da Classic Seguros, Getúlio Gabriel Assunção, revela o beneficio de se fazer uma previdência através da intermediação de uma corretora ou corretor de seguros.